NOTÍCIAS

Fique sabendo das últimas notícias

Origem Sustentável: empresa Cipatex é Ouro no Origem Sustentável

02.04.2013

A Cipatex é a primeira das 12 empresas que participam do programa Origem Sustentável a receber a certificação nível Ouro, confirmando que seus processos estão alinhados aos pilares ambiental, econômico, social e cultural. A indústria de laminados sintéticos, com matriz em Cerquilho, interior de São Paulo, passou por auditoria para comprovar que corresponde aos padrões estabelecidos pelo programa. “Nossa empresa sempre respeitou esses quatro pilares. O que fizemos agora foi organizar os dados e comprovar esse entendimento”, disse o diretor da companhia, Marcelo Nicolau.

 

O Origem Sustentável, desenvolvido pela a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e a Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couros, Calçados e Artefatos (Assintecal), concede um selo – Branco, Bronze, Prata, Ouro e Diamante – para atestar a sustentabilidade nos processos das empresas brasileiras. Já participam do projeto as fabricantes de calçados Piccadilly, Bibi e Dian Patris  e as fabricantes de componentes  Killing, FCC,  Prisma, Endutex, Dublauto Gaúcha, Jotaclass,  JR Dublagens, Cipatex e MK Química. O programa é aberto para participação de empresas associadas à Assintecal e à Abicalçados.

 

 

SAIBA MAIS

Com o Programa Origem Sustentável, a Abicalçados e a Assintecal pretendem que fabricantes de calçados e de componentes tenham um maior engajamento em questões de sustentabilidade, o que resultará na ampliação das oportunidades no mercado de exportação para países que possuem regulamentação orientada à aquisição de produtos sustentáveis.

 

Outro benefício do selo é a garantia de alinhamento da indústria de componentes e de calçados brasileira com iniciativas internacionais de sustentabilidade como SAC, Biocalce, DOW Jones Sustainability Index, ISE-Bovespa entre outras.

 

O programa Origem Sustentável é patrocinado pelo Sebrae e tem como parceiros o Instituto By Brasil, Universidade de São Paulo (USP) e Massachusetts Institute of Technology (MIT).

 

As auditorias para definir em que nível de selo a empresa se enquadra estão sob a responsabilidade da SGS – System & Service Certification e da ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.

 

Empresas brasileiras do setor coureiro-calçadista engajadas ao tema sustentabilidade podem se candidatar ao selo sustentável. A simples adesão ao programa já confere o selo nível branco. Para o bronze, a empresa deverá se submeter a uma auto-avaliação, tendo como base 52 critérios. As empresas tem até 2 anos para ficar em cada nível.

Voltar

REALIZAÇÃO

APOIO

PATROCÍNIO:

GamPi