• Julia Caon Froeder

Sustentabilidade: a inovação que não deixa ninguém para trás

Vivemos em um mundo de pandemia. A noção de tempo mudou, novas necessidades se apresentaram e adaptação é sinônimo de sobrevivência. Uma época de experienciar o mundo VUCA (Volatilidade, Incerteza, Complexidade e Ambiguidade) em sua totalidade, adicionados aos desafios consolidados que nos acompanham há tempos. Se há dúvida sobre o final do distanciamento social, há certeza sobre a emergência climática, a desigualdade social e o racismo.


Sinais claros de diferentes setores evidenciam a adoção de estratégias para uma retomada sustentável que evita novas crises e cuida da continuidade da raça humana na Terra. O Green New Deal Europeu, The Great Reset do Fórum Econômico Mundial, Sustainable Markets Initiative, do Príncipe Charles, são exemplos robustos, além de compromissos de bancos brasileiros e fundos internacionais colocando ESG (Environmental, social and corporate governance) em seu core business.


Negócios sustentáveis equilibram impactos econômicos, sociais e ambientais, e terão grande vantagem no mundo que se constrói. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU são a principal plataforma mundial no tema, um guia para construirmos um mundo bom para todos até 2030. Assinada por 193 países em 2015 (inclusive o Brasil), traz 17 objetivos, 169 metas e inúmeros indicadores.


A emergência climática, um dos 17 ODS, é a próxima grande crise humanitária que a ciência já consegue prever. Ela impacta sistematicamente todos os demais objetivos e setores. Um futuro de estradas fechadas por alagamentos, cortes de energia frequentes, secas que alteram o fornecimento de matéria-prima, desequilíbrio de ecossistemas que trazem doenças e impedem colaboradores de trabalhar é esperado caso não sejam tomadas as medidas necessárias. Fazendo a sua parte, a Indústria se beneficia de inovações que ajudam a neutralizar o impacto que os gases de efeito estufa geram.


Avaliação da cadeia de produção, desenvolvimento de novas matérias-primas amigáveis ao meio ambiente, produtos que integram cadeias circulares, gestão responsável de resíduos, consumo de energias renováveis e eletrificação da frota logística são realidades que devem

ganhar escala. Nas questões sociais, surge a urgência de acabar com o racismo, que mata tantos brasileiros, e a desigualdade de gênero que impede que mulheres vivam suas potencialidades. Ecossistemas diversos são mais resilientes e propensos à inovação, o que reforça as inúmeras oportunidades às empresas. Um exemplo bonito deste olhar é o movimento da Magalu contra a violência de gênero, uma iniciativa que iniciou internamente e extrapolou para sua clientela, agregando valor à marca.


O mundo nos entrega desafios cada vez maiores. Resolvê-los na velocidade necessária está sendo possível pela colaboração entre stakeholders. Escutar, dialogar e construir em conjunto é o caminho para que o futuro das gerações será próspero, sem deixar ninguém para trás.




Julia Caon Froeder

Empreendedora na Franca - Objetivos de Desenvolvimento Sustentável na prática


Conteúdos Programa Origem Sustentável | Gestão Da Sustentabilidade | Brasil

CONTEÚDOS